Reservas vão de Lisboa a Aveiro para ver o Papa

Quartos a 2500 euros e uma casa com 50 m2, "maior que a maioria em Fátima", diz anúncio, por 4 199 euros para o dia 12. Em regra, as unidades exigem mínimo de três noites

0
222

O alojamento turístico em Fátima há muito tempo que está superlotado para os dias 12 e 13 de maio, até porque as reservas são feitas com um ano de antecedência, dizem as agências e os hoteleiros. O que vai aparecendo são desistências, mas a valores exorbitantes. Ontem três unidades tinham quartos com preços entre 1195 e 2500 euros por dia. E uma “casa de férias”, 50 m2, custa 4199 na noite de dia 12 para 13. O melhor é dormir longe e, desde Lisboa a Aveiro, há quartos reservados com a indicação de que é para a visita papal.

O presidente do Turismo Centro de Portugal, Pedro Machado, acredita que o 13 de maio deste ano vai superar as enchentes habituais, o que se deve à vinda de Francisco. “Temos informação de que há reservas em Aveiro, além de Leiria, Batalha, Alcobaça, Nazaré, Figueira da Foz, Coimbra, etc. O alargamento, quer do número de reservas quer do território, é um indicativo de que haverá um aumento significativo”.

Espera-se um milhão de pessoas nesses dias, segundo o presidente da câmara de Ourém, Paulo Fonseca. E, na quinta-feira, o bispo de Leiria apelou ao bom senso, numa reunião com os responsáveis turísticos locais, nomeadamente agências de viagem e unidades hoteleiros. “Apelo a cuidarem mais e melhor desse acolhimento e, de uma maneira particular, a que não haja exploração dos peregrinos. Não gostava que Fátima tivesse esta mancha”, pediu D. António Marto.

Os empresários admitem como razoável um alojamento custar cinco ou seis vezes mais nas celebrações principais, não só o 13 de maio, como o 13 de outubro e 15 de agosto, os mais fortes. Mas com a visita do Papa, há subidas desproporcionais, o que depende da tipologia da unidade, do número de noites, do tipo de viagem e da antecedência com que foi marcada. Um dos hotéis que tem quartos disponíveis, o Anjo de Portugal, um quatro estrelas junto ao Santuário, custa 2 500 euros na noite de 12 para 13 de maio, quando em março fica por 45 euros.

O problema, justificam os agentes turísticos, é a sazonalidade do turismo em Fátima, o que faz com que os empresários tentam fazer o máximo de receitas nestes dias. “A época alta é entre maio e outubro, nos restantes dias os quartos são baratos. Fátima tem uma excelente relação qualidade/preço”, defende Sérgio Bregieira, dono da Protravel. Esta agência, tal como a maioria localizada em Fátima, trabalha com grupos e que normalmente vêm através das paróquias.

O concelho de Ourém tem 70 estabelecimentos hoteleiros – hotéis e pensões -, e que disponibilizam 7 539 camas, dados do INE para 2015, 99% em Fátima. Acrescentam-se outras tantas camas em alojamento local, nomeadamente das instituições religiosas, segundo Alexandre Marto, vice-presidente da Associação Empresarial Ourém-Fátima. Mas apresenta uma das taxas mais baixas de ocupação, 28,7% (de Portugal é 43,6%).

Alexandre Marto sublinha que um dos objetivos de Fátima é aumentar o número de noites por cliente. Por exemplo, os empresários do setor, além de exigirem três noites para reservas para os dias 12 e 13 de maio, pedem um número mínimo de clientes ao longo do ano. “A vinda de um papa que é extremamente popular, e que só vem a Fátima, e o facto deste ser o ano centenário das aparições, fazem com que seja um evento muito superior à de visita de Bento XVI. Mas Fátima é a cidade portuguesa mais bem preparada para um evento desta natureza”, assegura.

Ecrãs gigantes no Santuário

O Santuário de Fátima vai colocar diversos ecrãs gigantes, nas imediações do recinto e em várias localizações, para que “todos possam acompanhar a visita papal”, sendo certo que “pode não haver lugar para todos, no recinto”, admitiu ontem o padre Carlos Cabecinhas, reitor do Santuário de Fátima, em conferência de imprensa.

“O importante é que os peregrinos venham e façamos deste momento uma grande festa”, justificou aquele responsável, quando questionado acerca de capacidade do Santuário para acolher os milhares de peregrinos esperados no centenário das aparições de Fátima. O reitor não avança com um número de previsão, embora admita que seja exponencialmente maior que as 500 mil pessoas que participaram na última visita papal, a de Bento XVI, em 2010. “Os peregrinos de Fátima não precisam de se pré-inscrever, o que significa que nunca sabemos quantas pessoas estarão. A nossa expectativa é que seja muito grande o número de pessoas que venha para saudar, ver e ouvir o papa”, salientou o reitor. Sendo certo que o Papa Francisco apenas virá a Fátima, não passando por Lisboa e Porto, como o antecessor, o país concentra atenções em Fátima, por esses dias.

Com a capacidade hoteleira esgotada, é de esperar que nas imediações do Santuário peregrinos montem as tendas, utilizando mesmo alguns parques de estacionamento para o efeito. O Santuário não vê com bons olhos essa opção, mas sabe que não há alternativa: “não há um parque de campismo em Fátima nem nas proximidades, por isso não podemos limitar ou dissuadir”, assumiu o reitor.

Apesar de não avançar grandes pormenores, o Santuário já confirmou que Francisco entrará no recinto de papamóvel, depois de aterrar na Base Aérea de Monte Real, pelas 16.00 a 12 de maio. O papa deverá ser recebido pelas altas individualidades do país. A chegada a Fátima (de helicóptero) está prevista para as 18.00, aterrando no campo de futebol. “Com Maria, peregrino na Esperança e na Paz” é o lema do cartaz da visita.

Com Paula Sofia Luz

Booking.com

Deixe uma resposta