O seu animal de estimação vai de férias?

Há cuidados especiais a ter ao preparar as férias quando se tem animais de estimação. Quer vão com os donos ou não, importa planear com antecedência para que haja descanso para todos.

0
369

Se os animais de estimação são encarados como parte da família, é natural (e desejável) incluí-los nos planos de férias. Afinal, não faz sentido abandonar fiéis amigos antes da diversão começar. E porque as férias da Páscoa estão quase aí, lembramos alguns cuidados importantes que deve ter para que tudo corra na perfeição para todos.

Consulte o veterinário

Quer o animal acompanhe os donos ou fique à guarda de alguém, é importante levá-lo ao veterinário antes das férias. Mesmo que aparentemente esteja tudo bem. Lembre-se que só um profissional especializado poderá avaliar se o estado de saúde é compatível com viagens, deslocações ou alterações de rotina.

Será necessário verificar se as vacinas estão em dia, atualizando as que estiverem em falta. E no caso de as férias incluírem uma ida ao estrangeiro, o veterinário fará uma consulta do viajante adaptada ao animal, tendo em conta as vacinas exigidas no país de destino, a documentação solicitada, entre outros aspetos.

Aproveite ainda a consulta para esclarecer todas as dúvidas acerca do transporte (alternativas e recomendações), bem como sobre a eventual necessidade de desparasitação antes e depois das férias.

6 Dicas para levar consigo os seus animais

Se quiser levar o seu animal consigo para as férias, lembre-se que os cuidados que se aplicam aos humanos também se adequam, na maior parte das vezes, aos animais.

1. Estadia amiga de animais – Antes de reservar o alojamento, verifique se o local autoriza a permanência de animais e em que condições. Para o ajudar a decidir, pesquise avaliações e comentários de outros donos sobre os locais que selecionar.

2. Planos adaptados – Ao decidir levar um ou vários animais de férias deverá adaptar os planos de forma a encaixá-los nas atividades diárias. Evite deixá-los fechados várias horas por dia num local que lhes é estranho. Tenha em conta a personalidade do animal (se é muito ou pouco sociável, por exemplo) e também o seu estado de saúde para planificar os dias (alguns problemas ósseos podem provocar dor na marcha).

3. Cuidado com os mais novos… e com os mais velhos – Os animais muito jovens, idosos ou doentes devem ser preservados de viagens longas e cansativas, com grandes alterações em relação àquilo a que estão habituados. Da mesma forma, devem ser poupados de atividades muito intensas e exigentes.

4. Legislação e burocracia – Se o destino de férias for um país estrangeiro, é conveniente informar-se sobre a legislação aplicada em cada caso, incluindo as vacinas obrigatórias, a necessidade de um certificado internacional de saúde ou passaporte e a identificação do animal com chip (obrigatória em viagens para países da União Europeia, por exemplo).

5. Viagem de carro – Tal como nós, também os animais agradecem as pausas regulares durante as viagens de carro para beber água, fazer as suas necessidades e gastar energia. Para uma viagem segura deve recorrer-se a uma caixa transportadora ou, no caso dos cães, a um cinto de segurança específico. Pode também utilizar-se uma rede ou grelha para separar o porta-bagagens dos bancos traseiros. Aconselha-se cautela e não abrir a porta do carro sem antes ter a certeza de que o animal não foge, nomeadamente, colocando uma trela aos cães. Lembre-se de nunca deixar os animais dentro do carro várias horas sem vigilância.

6. Comboio, avião ou autocarro – Informe-se antes de viajar: algumas empresas recusam transportar certas raças alegando a sua perigosidade, muitas exigem a apresentação de documentação (boletim de vacinas e licença), praticamente todas referem a necessidade de o animal ser transportado devidamente acondicionado (por exemplo, em caixa de transporte ou com trela e açaime).

Garanta que os animais ficam bem sem si

Muitas vezes, a opção acaba por ser a de não levar os animais nas férias. Ou porque a logística se revela demasiado complexa e limitadora para todos, ou porque os animais não podem viajar. Nesse caso, a solução passa por recorrer a alguém conhecido ou, em alternativa, por deixar o animal num canil ou gatil com serviço de hotel. Também nesta situação é necessário ter em conta alguns cuidados:

Visitar o local – Faça uma visita ao local onde pensa deixar o seu animal nas férias. Preste atenção ao tamanho e à limpeza dos compartimentos, bem como ao número de animais admitidos em cada um. Veja se há espaço suficiente para se exercitar e descarte os locais que não exigem boletim de vacinas.

Alimentação – Se ficar num hotel, garanta que o seu amigo de quatro patas continuará a fazer a alimentação a que está habituado. Ou deixe ração suficiente com quem estiver responsável por ele.

Hábitos e preferências – Comunique as rotinas, hábitos e preferências do seu animal. O objetivo é manter a rotina inalterada (dentro do possível) de forma a reduzir a ansiedade, já que este irá sentir saudades do dono e da sua casa.

Contactos – Deixe sempre o seu contacto de férias e do veterinário. No caso de optar por um hotel, verifique se este dispõe de atendimento veterinário de urgência.

O que não pode faltar na bagagem do animal

Se o seu animal vai de férias é imprescindível preparar-lhe também a bagagem. Alguns itens são indispensáveis, quer vá de viagem, fique em casa de alguém ou num hotel para animais:

  • Coleira com identificação (nome do animal e contacto do dono);
  • Trela ou peitoral e açaime se necessário (no caso do cão);
  • Caixa de areia (no caso do gato);
  • Sacos para recolha de dejetos para quando for passear o cão;
  • Cama ou manta e um brinquedo;
  • Há quem aconselhe levar ração da marca habitual, para a eventualidade de não encontrar igual no destino e haver recusa por parte do animal em comer outra;
  • Considere a necessidade de levar recipientes para a comida e água;
  • Medicamentos (caso esteja a tomar algum).

 

Proteção antes das férias

A proximidade das férias é uma boa ocasião para ponderar a necessidade de um seguro específico para o seu animal de estimação, já que são muitas as situações a que precisa de estar atento. Entre as várias opções disponíveis no mercado, o seguro NET ANIMAIS DOMÉSTICOS da MAPFRE Seguros destaca-se pelas inúmeras vantagens que reúne.

Desde logo porque permite uma poupança até 50% no valor das consultas no veterinário e nas despesas com o seu melhor amigo, nomeadamente em vacinas e serviços de desparasitação e esterilização numa alargada rede de prestadores.

Estão ainda disponíveis descontos em vários serviços de bem-estar, muito utilizados em época de férias, nomeadamente estadias em hotel, pet sitting, dog walking ou até transporte de animais.

Além disso, graças às coberturas de Responsabilidade Civil e Proteção Jurídica, o seguro oferece toda a proteção necessária no caso de o cão ou gato provocarem estragos materiais ou físicos a terceiros outras pessoas (durante as férias, por exemplo). Recorde-se que os animais tendem a ficar mais instáveis com a mudança de ambiente e qualquer alteração de rotina pode torná-los mais nervosos, pelo que a probabilidade de estas situações ocorrerem nas férias é também maior.

Se está a planear ir de férias, aproveite a campanha de 20% desconto no seguro NET ANIMAIS DOMÉSTICOS e dê ao seu amigo de quatro patas todo o cuidado que ele merece.

O seguro ​NET ANIMAIS DOMÉSTICOS​ pode ser contratado muito rapidamente ​online, estando também acessível por telefone ou através da rede nacional de mediadores MAPFRE. Logo após o primeiro pagamento pode começar a usufruir das vantagens exclusivas preparadas a pensar em si e no seu melhor amigo de quatro patas.

Booking.com

Deixe uma resposta