Nova Iorque quer proibir a Airbnb

0
295

Os críticos dizem que por causa da Airbnb, o número de apartamentos de renda acessível disponíveis para arrendar em Nova Iorque diminuiu muito.

A Airbnb pode ter os dias contados em Nova Iorque. Andrew Cuomo, governador da Grande Maçã, está prestes a aprovar uma lei que vai proibir definitivamente a empresa de operar na cidade.

A startup que permite o arrendamento de curto prazo através de uma aplicação está numa corrida contra o tempo para tentar travar a lei, e apresentou uma série de propostas para que as autoridades reconsiderem.

A Airbnb promete, por exemplo, criar um sistema de registo obrigatório para os arrendatários, para que seja possível controlar a oferta. A startup de São Francisco propõe ainda uma regra segundo a qual cada arrendatário só poderá disponibilizar uma casa na plataforma.

Em declarações ao Financial Times, Linda Rosenthal, uma das signatárias da lei, sublinhou que as propostas da Airbnb “não são suficientes” e reforçou que “quem infringe a lei não pode fazer a lei”.

Os críticos da plataforma dizem que por causa do Airbnb, o número de apartamentos de renda acessível disponíveis para arrendar na cidade diminuiu muito desde que a empresa começou a operar.

Os sindicatos do setor da hotelaria de Nova Iorque, que têm lutado arduamente contra a plataforma, alegam ainda que a Airbnb não respeita a lei do alojamento aprovada em 2010, que proíbe os arrendamentos de curto prazo em Manhattan.

O governador de Nova Iorque terá de decidir se avança ou não com a lei até ao final da próxima semana. Caso a medida vá para a frente, os utilizadores que coloquem anúncios de casas para arrendar em Nova Iorque na plataforma passam a estar sujeitos a uma multa que pode chegar aos 7500 dólares.

Atualmente existem cerca de 46 mil casas disponíveis para arrendar em Nova Iorque através do Airbnb. A startup está avaliada em mais de 30 mil milhões de dólares, cerca de 27 mil milhões de euros.

fonte: dinheirovivo.pt

Booking.com

Deixe uma resposta