Há uma vila suíça que quer pagar mais de 20 mil euros a quem se mudar para lá

A aldeia de Albinen, nos Alpes Suíços, quer pagar 21 mil euros a quem se mudar para lá -- e mais de 60 mil euros se for uma família de quatro. Mas há um "senão".

0
317

A aldeia de Albinen, nos Alpes suíços, sempre foi uma comunidade pequena. O número máximo de residentes que já teve foi de 380, em 1900. Contudo, o êxodo é uma constante nesta pequena vila suíça, que, agora com uma população de 240, está à procura de mais gente — e a proposta é tentadora.

A ideia, que ainda vai ser votada, é oferecer 25 mil francos suíços (um pouco mais que 21 mil euros) a cada pessoa que se mude para lá. Caso, por exemplo, seja uma família de quatro, dois adultos e duas crianças, o valor pode ascender aos 59 mil euros: isto porque a proposta prevê que se pague adicionalmente 8.500 euros por filho.

Albinen fica no sudeste da Suíça, rodeada de montanhas e a mais de 1300 metros de altitude. O município tem uma área total de pouco mais de 15 quilómetros quadrados, dos quais apenas 3% são edifícios ou estrada. Se sempre sonhou em viver numa pequena vila no meio das montanhas parece ser uma oportunidade a não perder. Mas as coisas não são assim tão simples.

Pressione Ctrl e role a tela simultaneamente para aplicar zoom no mapa

Dados cartográficos ©2017 Google

Mapa
Satélite

Os critérios a cumprir para se poder usufruir destes fundos não são os mais acessíveis. Primeiro, tem de estar abaixo dos 45 anos. Se conseguiu respeitar esta primeira exigência, parabéns. O próximo passo é construir ou comprar uma propriedade na localidade no valor de, pelo menos, 200 mil francos suíços (cerca de 170 mil euros). E não pode ser uma casa de férias — tem de passar a ser a sua residência oficial. Se isso não é um problema, resta saber que teria de viver em Albinen por um período mínimo de 10 anos. Caso não o faça, abdica do fundo que lhe é atribuído pela vila.

O objetivo de Albiden é revitalizar a economia local com uma vaga de novos habitantes, traduzida em mais dinheiro proveniente de impostos, dinamismo na construção e no consumo de produtos locais.

Booking.com

Deixe uma resposta