As melhores cidades dos EUA para curtir sem gastar nada

0
212

O site Thrillist questionou viajantes dos Estados Unidos quanto a destinos que se pode aproveitar um fim de semana gratuitamente, ou pelo menos gastando bem pouco. Quem pensa que as atividades são apenas aquelas ligadas à natureza, como parques e praias, está parcialmente certo. Além destes cenários, há shows livres de jazz, cervejas e vinhos de graça, pistas de skate, museus, zoológicos e fogos de artifício que podem ser aproveitados sem por a mão no bolso. Até comida de graça tem!

Veja então 8 cidades que o Thrillist selecionou como ideais para passar um ótimo fim de semana praticamente sem gastar dinheiro, ouvindo recomendações de viajantes norte-americanos:

BOSTON, MASSACHUSSETS

Wikicommons/Jared Vincent

Estádio de Fenway

Estádio de Fenway

A primeira cidade citada como recheada de programas gratuitos é Boston, com dicas do viajante Matt Meltzer. Começando pelo Freedom Trail, a atração turística “mais importante da Boston”, onde uma caminhada de cerca de quatro quilômetros que passa por 16 locais históricos da América, incluindo o Boston Common, um dos grandes parques urbanos do país; o Old State House, o Bunker Hill Monument, o local do Massacre de Boston, e até mesmo um navio de guerra inteiro na USS Constitution. Para ser feito em um dia inteiro, o único custo do passeio será a comida.

Outro passeio interessante é visitar o estádio de baseball Fenway. Assistir a um jogo pode não ser barato, mas curtir a festa nos arredores do estádio em dia de partida pode ser uma experiência interessante. Além disso, o Bleacher Bar oferece vista para o jogo de forma gratuita (desde que você aproveite e tome uma cerveja pra acompanhar).

Para quem quer apenas aproveitar uma cerveja boa e gratuita, o tour na cervejaria de Sam Adams não custa um centavo e inclui degustação no final. Os cervejeiros locais e os vinicultores também recebem degustações periódicas gratuitas, como The Urban Grape e Central Bottle.

AUSTIN, TEXAS

Facebook/Bat Conservation International

Milhares de morcegos podem ser vistos todos os anos da South Congress Bridge

Milhares de morcegos podem ser vistos todos os anos da South Congress Bridge

“Um oásis urbano cheio de piscinas naturais”. Assim é definida a cidade de Austin pela viajante Kelli McDonald, considerando-a uma boa escolha para curtir uma série de atividades gratuitas ao ar livre. Conhecer o Zilker Park, passear pela trilha ao longo do lago Lady Bird ou curtir a vista panorâmica do topo do Monde Bonnell são algumas das opções.

Um diferencial da cidade é a presença de uma série de piscinas de águas naturais. Uma delas é o Barton Springs Pool, com entrada gratuita antes das 8h e após as 21h, e custando apenas US$ 3 nos demais horários. Outras piscinas naturais, como a Sculpture Falls, não lhe custarão, mas exigem uma caminhada considerável, então é recomendável ter o auxílio de algum local ou algum guia.

De março a novembro, um espetáculo da natureza interessante acontece durante o por do sol na South Congress Bridge: todas as noites, milhares de morcegos mexicanos sem cauda saem de suas tocas e infestam o céu. De tão impressionante, foi criado o Festival de Morcegos de Austin, que atrai turistas todos os anos para o local.

Por fim, o Barton Creek Greenbelt conta com 13 quilômetros de trilhas na mata para caminhar, além de espaços para nadar, andar de bicicleta ou até praticar alpinismo.

SEATTLE, WASHINGTON

Flickr/Ngader

Escultura de um Troll, embaixo da Fremont Bridge

Escultura de um Troll, embaixo da Fremont Bridge

O destaque da cidade de Seattle é a presença massiva de esculturas e obras de arte na própria rua. Um dos principais exemplos é o Olympic Sculpture Park, uma espécie de museu a céu aberto misturado com parque de esculturas, que inclui uma série de obras de arte moderna. Outra obra de arte pública é o Hammering Man, uma estátua de mais de 14 metros de altura de um homem com um martelo, em homenagem aos trabalhadores. A escultura de um Troll gigante, criatura do folclore escandinavo, pode ser vista ainda embaixo da ponte de Fremont Bridge, e a lista continua.

Para o viajante Matt Meltzer, talvez a arte pública mais famosa da capital do estado de Washington seja o Sound Garden. “Não tanto porque é um conjunto legal de torres de aço de 21 pés ao lado do lago Washington, mas porque uma banda decidiu que seria um nome legal”, comentou, lembrando da banda rock norte-americana Soundgarden, formada na cidade.

WASHINGTON D.C.

Divulgação Washington.org

A Casa Branca é o principal ícone da capital norte-americana

A Casa Branca é o principal ícone da capital norte-americana

A capital norte-americana é um dos principais exemplo de onde se pode aproveitar museus e atrações gratuitamente. A dica de Matt Meltzer dessa vez é começar pelo Museu Nacional do Ar e do Espaço, abrigando todos os tipos de avião, planadores e ônibus espaciais que fizeram parte da história do país. Os monumentos para Washington, Jefferson e Lincoln são todos obrigatórios, mas vale passar pelo Memorial dos Veteranos do Vietnã, que atinge um silencioso contraste com a agitação do resto da cidade. Visite a Declaração de Independência e a Constituição dos EUA nos Arquivos Nacionais.

Para aproveitar atrações culturais gratuitas, há opções como o Shakespeare Theatre Company, que oferece apresentações ao vivo durante duas semanas gratuitas. A Galeria Nacional de Arte, também gratuita, oferece concertos de jazz ao vivo em seu jardim de esculturas. Para curtir a arte da variedade botânica, use uma tarde para conhecer o jardim urbano US Botanic Garden. Por fim, sempre vale dar uma passada na icônica Casa Branca, mesmo que apenas para dar uma olhada de fora.

New Orleans, Louisiana

Shutterstock

Opções de lugares para assistir shows de jazz e blues não falta na cidade de Louisiana

Opções de lugares para assistir shows de jazz e blues não falta na cidade de Louisiana

Uma das cidades “mais baratas para se divertir” da lista, em New Orleans a principal pedida é curtir as vastas opções de jazz e blues. Dois clubes citados pela viajante Missy Wilkinson são o o The Maison e o The Spotted Cat, ambos na Frenchmen Street, e que “raramente” cobram alguma taxa para o público acompanhar os shows.

Uma opção cultural gratuita acontece todos os segundos sábados do mês, quando as galerias de arte de St. Claude são abertas para o público e taças de vinhos são servidos para todos.

Por fim, o French Quarter Festival traz, durante quatro dias, cerca de 1,7 mil músicos para apresentações gratuitas de jazz na cidade de Louisiana.

Denver, Colorado

Flickr/Daveynin

O anfiteatro Red Rocks, que pode ser visitado gratuitamente em dias que não tem shows

O anfiteatro Red Rocks, que pode ser visitado gratuitamente em dias que não tem shows

Os pontos altos da cidade, lembrados pela viajante Molly Martin, são os passeios ao ar livre e a degustação de cervejas artesanais locais. Você pode obter um gostinho de ambos, sem que gastar dinheiro seja necessário, começando com uma caminhada em um dos pontos mais emblemáticos da cidade, o anfiteatro Red Rocks (apenas certifique-se de que não haja shows em andamento). Se quiser conhecer mais a cidade, a dica de Molly é aproveitar os cerca de 130 quilômetros de trilhas urbanas da cidade.

Para cervejas de graça, a dica é fazer o tour gratuito na Coors Brewery (primeira cervejaria do Colorado), onde você ganha três copos de cortesia para degustar.

Nova York

Flickr/Anthony Quintano

O Central Park pode ser aproveitado por mais de dois dias, sem que se veja tudo

O Central Park pode ser aproveitado por mais de dois dias, sem que se veja tudo

A maioria das pessoas não precisa de muito convencimento para visitar a cidade de Nova York, a metrópole mais famosa e visitada do país, e as opções gratuitas não são poucas, segundo a viajante Alicia Lu. São cerca de 1,7 mil parques para visitar, além do óbvio Central Park, onde você pode vagar por mais de dois dias sem conseguir ver tudo. Outra opção é o Prospect Park, que conta com shows gratuitos ao ar livre durante o verão e tem como horizonte arranha-céus por todo lado.

Explorar o calendário do Departamento de Parques e Recreação de Nova York pode valer a pena para curtir eventos e atividades todos os dias na cidade, quase sempre gratuitos. Basta escolher uma data. Só no dia 1 de outubro, por exemplo, há aula de tai chi no parque Fort Greene, caminhada de exploração da natureza no Marine Park, concertos de jazz gratuitos no First Street Green Art Park, e ainda o 33º Festival Medieval em Fort Tryon Park, todos gratuitos.

Las Vegas

Divulgação/Travel Nevada

O Red Rock Canyon, nos arredores de Las Vegas e no meio do deserto de Nevada

O Red Rock Canyon, nos arredores de Las Vegas e no meio do deserto de Nevada

Se engana quem acha que só dá pra ir Las Vegas com muito dinheiro no bolso. O primeiro passo, segundo a viajante Nicole Rupersburg, é sair da avenida principal da cidade, a Las Vegas Strip. A 20 minutos de lá, fica a área de conservação nacional Red Rock Canyon, o “playgroud de arenito” de Nevada. Para visitar sem pagar nada, pare em alguns dos estacionamentos públicos fora do parque em si – como o Red Spring Picnic Area – para ter as mesmas vistas impressionantes que teria dentro dele. Rochas vermelhas de uma beleza “extraterrestre”, nas palavras de Nicole, podem ser vistas do local.

Após caminhar pelo deserto, a dica dela é visitar a John Cutter Steakhouse, restaurante nos arredores de Vegas e próximo do Red Rock Canyon, onde são servidas boas carnes e hambúrgueres. Se conseguir ir em um domingo, chegue antes do meio dia, período em que todas as carnes são oferecidas pela metade do preço.

Booking.com

Deixe uma resposta